Caso de policiaNo dia 14 de maio de 2019, por volta das 16 horas, a Polícia Militar foi solicitada a comparecer em uma casa lotérica situada no Centro de Araxá, onde os funcionários relataram terem recebido uma ligação telefônica onde um indivíduo se identificou como secretário de finanças do fórum local e disse que enviaria alguns cheques juntamente com boletos para que fosse efetuado o pagamento naquela casa lotérica. Após alguns minutos, chegou ao local um mototaxista e entregou um envelope lacrado contendo 04 cheques, os quais possuíam o Tribunal de Justiça de Minas Gerais como titular, preenchidos eletronicamente, totalizando um valor de R$18.000,00, contendo inclusive um carimbo do “TJMG”. Juntamente com os cheques haviam 18 boletos com valores de cerca de 1 mil reais cada, tendo como favorecido um banco da internet. O proprietário da casa lotérica desconfiou da ação e fez uma consulta ao banco de origem dos cheques, onde foi informado que os mesmos possuíam sinas e indícios de falsificação. Ao entrar em contato com o Fórum local foi informado que não fazem pagamentos dessa forma, e então percebeu tratar-se de uma tentativa de golpe. Em contato com o moto taxista que transportou o envelope, ele relatou que recebeu a ligação telefônica no telefone fixo do moto taxi, e um indivíduo solicitou que apanhasse um envelope no Fórum da Justiça do Trabalho e entregasse na casa lotérica. Quando o mototaxista chegou ao local, havia um homem de estatura mediana, cútis parda, entre 30 e 40 anos de idade, que o aguardava do lado externo com o envelope lacrado, tendo pagado pela corrida e evadido em seguida. Diante dos fatos, foi realizado o registro do fato para providências posteriores.

 

No dia 14 de maio de 2019, por volta das 12 horas, compareceu na desde da Polícia Militar em Araxá, uma vítima relatando que na data de 13/05/2019 recebeu uma mensagem de um amigo, cadastrado em seus contatos pessoais de seu whatsapp, a qual lhe pediu que efetuasse o pagamento de um boleto como empréstimo de dinheiro, uma vez que não havia conseguido efetuar o pagamento, pois o sistema se encontrava indisponível em seu aplicativo. Para ajudar seu amigo, a vítima efetuou o pagamento de um boleto no valor de aproximadamente 1 mil reais. Posteriormente o amigo novamente solicitou uma TED no valor de R$1.620,00 a qual também foi efetuada. Somente após ter realizado os pagamentos, a vítima descobriu que o número de celular do amigo havia sido clonado e que autor se passava pelo proprietário do celular e utilizou o aplicativo whatsapp para realizar tal golpe. Diante dos fatos, foi realizado o registro do fato para providências posteriores.

 

No dia 12 de maio de 2019, por volta das 13 horas, a Polícia Militar foi solicitada por uma vítima de 74 anos, que relatou que no dia anterior seu número de celular havia sido bloqueado automaticamente. A vítima fez contato com a operadora para resolver o problema, no entanto sem sucesso. Nesta data, por volta das 11h00min, um autor mandou uma mensagem para a irmã dela via aplicativo whatsapp, usando seu número (clonagem de número de celular). Na mensagem enviada pelo golpista, o autor tentou aplicar um golpe simulando ser a vítima e pedindo para a irmã dela depositar uma quantia em dinheiro em uma conta bancária, porém sem sucesso. A vítima solicitou o registro de ocorrência pois teme que o golpista use seu número e aplicativo de whtasapp para tentar aplicar este golpe em outros dos seus contatos.

 

No dia 12 de maio de 2019, por volta das 02 horas, a Polícia Militar foi solicitada por uma vítima de 68 anos que relatou que no dia 09 de maio de 2019, recebeu uma ligação de um número desconhecido com DDD (011), onde uma pessoa se identificou como funcionária do INSS, vindo a lhe oferecer um cartão com alguns benefícios e solicitou o seu número de whatsapp para lhe enviar a proposta. A proposta foi enviada via whatasapp para a vítima, sendo que o contato possuía uma imagem com a logomarca do INSS, vindo a suposta funcionária a solicitar uma foto de seu RG. Como seu cartão de recebimento do benefício estava prestes a vencer, o solicitante não desconfiou de nada ilícito e enviou as fotos. Instantes depois, a vítima desconfiou que esta ligação e conversa via aplicativo de mensagens poderia ser um golpe e procurou a agencia do INSS onde foi informado que o INSS não faz esse tipo serviço e não pede fotos de documento por whatsapp, se tratando de um golpe. Diante dos fatos, foi realizado o registro do fato para providências posteriores.


About the Author


Comments are closed.

DICAS DO SARGENTO AMILTON:

Produzido por jornalaraxa.com.br

CLIQUE AQUI PARA VER MAIS DICAS

Arquivos de Posts


Últimas Notícias


Direto ao Assunto


Siga-me

https://www.facebook.com/amilton.moreira.7334 https://www.facebook.com/amiltonmarcos.marcos http://www.futebolaraxa.com.br/NOVOSITE/?page_id=7341 http://www.futebolaraxa.com.br https://twitter.com/amiltonmarcos